NELTUR.COM.BR

SITE OFICIAL DO TURISMO DE NITERÓI

#VISITNIKITI #MOTIVOSPRASORRIR #EMNITEROI

Disque Turismo
0800 282 7755
Você esta em: Atrativos » Fortes e Fortaleza Selecione o interesse:
 
Forte da Boa Viagem
Forte da Boa Viajem

A Ilha da Boa Viagem, na ponta da praia de mesmo nome, revela e oculta dois monumentos arquitetônicos do período colonial. Fincada em seu topo, solitária e poeticamente contemplando a Baía de Guanabara, a Igreja de Nossa Senhora da Boa Viagem se oferece aos olhos dos que a observam. Ocultas sob a vegetação, abaixo da Igreja, escondem-se as ruínas de uma fortificação erguida no final do século XVII com o nome de Forte da Barra, logo depois chamado Forte da Boa Viagem.

Sua função era a de vigiar e proteger a Baía de Guanabara. Em 1810, com o aumento do movimento no Porto do Rio de Janeiro, serviu como local para a quarentena de viajantes com doenças epidêmicas ou contagiosas. Até 1876, abrigou a Escola de Aprendizes de Marinheiros, mesmo tendo sido o seu arsenal desativado em 1861, juntamente com o de todas as fortificações brasileiras. Já abandonado, voltou à ação como posto de observação logo após a Primeira Guerra, como Comando de Defesa do Porto. Em 1937, quase em ruínas, foi entregue, junto com todo o conjunto da Ilha, aos Escoteiros do Mar para guarda e conservação. 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES
Praia da Boa Viagem, s/nº - Boa Viagem
Veja como chegar
Nº das Linhas de Ônibus
47B
 
  Topo
Forte de Gragoatá
Forte de Gragoatá

Localizado na ponta do bairro de Gragoatá, com ampla visão da entrada da Baía de Guanabara, foi construído entre os séculos XVII e XVIII, com o nome de Forte de São Domingos, em homenagem ao patrono da capela construída em 1652, hoje matriz de São Domingos. Um século após o seu surgimento, foi reconstruído por ordem do Marquês do Lavradio, vindo a ser desativado em 1831. Em 1863, entretanto, foi ampliado, reparado e rearmado, tendo participação importante, em 1893, na Revolta da Armada.

Transformado em sede do Batalhão Acadêmico, reagiu à ação das forças revoltosas, impedindo seu desembarque na enseada do Gragoatá, defendendo Niterói e o governo de Floriano Peixoto. O Forte também já abrigou a Seção de Comando do Grupamento Leste da Artilharia de Costa e hoje funciona como sede do Comando da 2ª Brigada de Infantaria, sendo monumento tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES
Praia do Gragoatá, 145 - Gragoatá
Veja como chegar
Nº das Linhas de Ônibus
Linha Niterói: 47B
 
  Topo
Fortes do Imbuí e Barão do Rio Branco
Fortes do Imbuí e Barão do Rio Branco

Em 1555 foi criado, na atual Praia do Forte Rio Branco, um Observatório, sendo posteriormente armado e transformado em Bateria com a construção das primeiras bocas de fogo. Essa Bateria derrota a esquadra holandesa e, mais tarde, a expedição francesa de Duclerc. Em 1863, na Ponta do Imbuí, teve início a construção da fortificação nascida com o nome de Forte D. Pedro II, a cargo do engenheiro militar niteroiense Henrique de Beaurepaire Rhoan, encarregado pelo Imperador da execução de um plano de melhoramento das fortificações do litoral fluminense.

O projeto inicial previa a ligação por terra à Bateria da Praia de Fora, criando-se, assim, a necessidade de construção de um segundo forte, inicialmente chamado Forte da Praia de Fora. À frente de seu portão de entrada estão os dois canhões que abriram fogo contra Duguay Trouin, na invasão francesa de 1711.

A construção da fortificação - mais tarde denominada Imbuí - ficou paralisada por alguns anos, sendo reiniciada em 1893, por ocasião da Revolta da Armada, quando, então, são colocadas as cúpulas importadas da Alemanha, instalados os canhões alemães Krup e construídas as torres para os mesmos. Em 1901, foram inauguradas as instalações do Forte, atualmente desativado.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES
Av. Marechal Pessoa Leal, 265 - Jurujuba
Tel.: (21) 2710-7840 / (21) 2711-0462
http://www.dphcex.ensino.eb.br/?page=imbuhy
Veja como chegar
Nº das Linhas de Ônibus
Linha Niterói: 33 Fortaleza
 
  Topo
Fortes do Pico e São Luiz
Forte do Pico

O Forte São Luiz é datado de 1567 e teve sua efetiva construção entre 1769 e 1770, durante o governo de Luiz de Almeida – 2º Marquês do Lavradio. A fortificação foi concluída em 1775. Alguns anos mais tarde, porém, seu comando foi extinto, e sua guarnição incorporada à da Fortaleza de Santa Cruz. O Forte permaneceu abandonado entre 1831 e 1863, até sua reativação, em decorrência da "Questão Christie". 

Possuindo uma maravilhosa vista de toda a Baía de Guanabara e orla de Niterói, apresenta em seu caminho inicial diversos tipos de canhões dos mais variados calibres utilizados na 2ª Guerra Mundial e trazido para o Brasil como troféus da guerra. Para se chegar ao Forte de São Luiz passa-se por um caminho repleto de animais silvestres e cercado de mata virgem, por se tratar de uma unidade do exército, o que impediu do homem alterar a sua vegetação.

Além de o passeio ser muito rico em história e cultura, a beleza do local é única e impressionante. Hoje é um dos poucos locais da Cidade com resquício de Mata Atlântica nativa. No topo do Forte do Pico o visitante contará com uma das melhores vistas panorâmicas do mundo, que é caracterizada quando realiza-se um giro de 360° e não há objeto nenhum capaz de interromper tal vista: uma paisagem espetacular da Fortaleza de Santa Cruz, da Cidade do Rio de Janeiro, da entrada da boca da Baía de Guanabara, do Corcovado e do Pão de Açúcar.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES
Av. Marechal Pessoa Leal, 265 - Jurujuba
Acesso pelo Forte Barão do Rio Branco
Tel.: 3611-4200
Horários para visita:
De terça a domingo: às 10h ou às 14h.

Para mais informações, entre em contato através do seguinte email:
rp_21gac@yahoo.com.br
Inteira: R$10,00
Meia-entrada: Crianças, estudantes e idosos
Veja como chegar
Nº das Linhas de Ônibus
Linha Niterói: 33 Fortaleza
descer em frente à entrada do forte Barão do Rio Branco.
A subida aos Fortes do Pico e São Luiz poderá ser realizada a pé, ou no veículo particular do visitante.
 
  Topo
Fortaleza de Santa Cruz da Barra
Fortaleza de Santa Cruz

A Fortaleza de Santa Cruz da Barra é um sítio histórico único no Brasil, com pedra fundamental no ano de 1555. Suas muralhas foram construídas com pedras cortadas e assentadas à mão, com uma área de mais de 7 mil metros quadrados.

Possui um acervo composto de 45 canhões dos séculos XVIII e XIX, além de uma capela datada de 1612, com uma imagem de Santa Bárbara do século XVIII. A Fortaleza de Santa Cruz da Barra está localizada ao lado do canal de entrada da Baía de Guanabara, por onde passam todas as embarcações que chegam no porto do Rio de Janeiro. Com uma visão privilegiada das cidades do Rio de Janeiro e de Niterói, é um local para se admirar as belezas naturais de nossa região. 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES
Estrada Eurico Gaspar Dutra, s/nº - Jurujuba
Tel.: 2710-2354
De Terça à Domingo das 10h às 17h, com saídas de 30 em 30 minutos

Visitas em grupo deverão ser agendadas através do e-mail:agendafscb@gmail.com
Adultos: R$ 10,00 (Entre 13 e 60 anos de idade)

Meia entrada : R$ 5,00 (Estudantes com carteirinha estudantil, Militares (e familiares diretos) da Marinha de Guerra, da Força Aérea Brasileira, da Polícia Militar e dos Bombeiros.)

Isentos: Crianças até 12 anos, Idosos acima de 60 anos, Militares do Exército e seus familiares diretos; Pessoas com necessidades especiais; Estudantes e Professores da Rede Pública de Ensino (mediante Ofício da Diretora para a FSCB) e Antigos Combatentes da 2ª Guerra Mundial (Veteranos da FEB e do Batalhão de Paz).
http://www.ad1de.eb.mil.br/
Veja como chegar
Nº das Linhas de Ônibus
Linha Niterói: 33 Fortaleza (Saindo do Terminal Rodoviário João Goulart)

Segunda a Sexta:
5h30min - 6h - 6h30min - 11h - 12h - 12h30min - 16h30min - 17h - 17h30min - 20h

Sábado / Domingo / Feriados:
5h30min - 7h - 8h30min - 10h 11h30min -13h 14h30min - 16h - 17h30min
 
  Topo